Do sagrado direito de mudar de opinião

Uma coisa que me deixa estarrecida é o apego excessivo das pessoas às suas ideias. Cabe aqui dizer que eu separo “ideias” de “princípios”, ou “valores”. Estes costumam ter um fundo moral, de respeito ao próximo, a uma divindade ou coisa que o valha.

Ora, se eu tivesse a pretensão de crer que já sei tudo o que preciso, então não seria necessário ler, observar, viajar, conversar com outras pessoas, enfim, viver! Qualquer opinião ponderada deve ser baseada em fatos, informações, e infelizmente ainda não existe uma maneira de fazer download de todo o conhecimento do mundo para o meu cérebro instantaneamente. É um processo que só termina na hora da morte.

Então, com base nas informações que tenho até determinado momento, formo uma opinião. Se algum fato novo aparecer, não devo mudar essa opinião apenas por orgulho ou vaidade? É isso mesmo?

Anúncios

Sobre ociolivre

A prática do ócio livre era o ideal de vários filósofos antigos. Onde nossas reflexões nos levarão?
Esse post foi publicado em Cotidiano, Filosofia, Literatura, Questões raciais, Religiões. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s